A frase
"Um revolucionário pode perder tudo: a família, a liberdade, até a vida. Menos a moral".(Fidel Castro)
Anulação
Depois de receber orientação do TCU sobre possíveis irregularidades - superfaturamento - na compra de um tomógrafo para o Hospital Geral, o Governo resolveu anular a concorrência. A máquina estava cotada em R$ 950 mil, quando não sai por mais de R$ 650 mil no mercado.
Fala sério!
Agora deu! Os ministros do Supremo não têm mais o que fazer, além de criticar os salários dos parlamentares do Congresso Nacional?
Uns pobres coitados que nem revelam quanto ganham de tanta vergonha que têm dos seus salários - os deputados e senadores, claro.
Não bastasse o ministro Marco Aurélio Mello, na segunda-feira, haver dito que trocava seu salário - hoje em torno de R$ 22 mil - pelos dos deputados e senadores, e até deixava o cargo se, na ponta do lápis, os proventos dos parlamentares, somando tudinho, não chegassem a mais do que R$ 80 mil por mês, agora vem outro ministro, Antonio Cezar Peluso, jogar lenha na fogueira.
Segundo ele, Marco Aurélio nem falou que os deputados trabalham apenas três dias por semana, e só oito meses por ano.
Fala sério!
Pegue o guarda-chuva
As previsões do tempo não são nada boas para amanhã, 8, em Macapá. Segundo o Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), na capital a preciptação pluviométrica - chuva, na linguagem de gente normal - será de 33 milímetros por segundo.
Entendeu? Nem tente entender.
Mas isso quer dizer que vai chover muito, mas muito mesmo. Mais que a média dos outros dias do ano, que girou em torno de 22 milímetros.
Em números absolutos isso significa dizer o que o Hélio Pennafort dizia: “se tudo estiver nos cantilhão, vai cair um pé d’água daqueles!”.
Portanto, se mesmo com essa previsão tétrica, você quiser sair, é bom levar o guarda-chuva.
Dito pelo líder
"Em vez de nos agredirem como nos agridem, por que é que não fazem simplesmente uma pergunta: como é possível que Cuba em 30 anos tenha feito o que a América Latina não fez em 200 anos?" (Frase de Fidel Castro, líder cubano, respondendo à imprensa norte-americana.)
Na miséria
Os “carapirás” da Lixeira Pública do Km 14 da BR-210 reclamam da falta de apoio para a comercialização da sucata que eles retiram diariamente do lixo.
Os quase 200 catadores de lixo que trabalham informalmente na lixeira dizem que não conseguem vender o material por um preço justo, e acabam caindo nas mãos dos atravessadores.
No ano passado, o governo federal prometeu abrir uma linha de crédito para as cooperativas e associações de carapirás, mas até hoje nada foi feito pelos trabalhadores informais da lixeira de Macapá.
Para se ter uma idéia da miséria que eles passam, uma garrafa pet é vendida a R$ 0,03. Isto mesmo: três centavos.
Mortes nas ruas
As estatísticas sobre mortes no trânsito, no Amapá, são das piores: de 2001 a 2006, nada menos que 700 pessoas perderam a vida em acidentes de trânsito, principalmente em Macapá.
Em compensação, Macapá, que detinha a fama de segunda cidade brasileira mais violenta, agora caiu para 21º lugar em mortes violentas.
Méritos para o trabalho dos Conselhos Comunitários de Segurança.
Os (quase) fonas
Ou nossos alunos não estão aprendendo nada, ou os professores não estão ensinando direito.
O certo é que o Exame Nacional do Ensino Médio, o glorioso Enem, foi uma negação para o Amapá.
Os estudantes locais ficaram em 21º lugar nacional no teste, atrás de estados considerados “fracos”, do ponto de vista da educação.
No âmbito dos municípios, os alunos de Serra do Navio obtiveram melhor desempenho, com 40% de aprovação, seguidos de Santana (39%) e Macapá (38%).
Lançamento
O Banco da Amazônia (Basa) vai lançar no mês de março a terceira edição de sua Revista Científica, com artigos e reportagens sobre o desenvolvimento sustentável, e foco na Amazônia Legal.
Nessa edição, vários artigos da lavra de cientistas e pesquisadores amapaenses.
Vale a pena conferir.
A frase
“Esta noite, milhões de crianças dormirão na rua, mas nenhuma delas é cubana”.(Fidel Castro)
Os culpados
De agora em diante, toda vez que alguém quiser saber de quem foi a idéia de escrever um livro contando a versão dos vencidos, da Revolução Cubana, é só perguntar para o advogados Wagner Gomes e o empresário Altair Pereira. Podia ser também para o jornalista Haroldo Franco, mas este já bateu as botas e fez a passagem há muito tempo.
Foi deles - dos três - a idéia primordial de contar as peripécias do cubano-americano-brasileiro Angel Hernández-Hojo, ex-guerrilheiro que ajudou Fidel Castro e Ernesto (Che) Guevara na Revolução Cubana.
Passados anos, Angel Hojo reaparece por essas bandas com exemplares do seu livro “La Revolucion en Cuba - Mitos y Víctimas” - sem tradução ainda em português.
Mudando de legenda
Está confirmado. O deputado estadual Eider Pena (PDT) vai mesmo mudar de le-genda. Abandona o Partido Democrático Trabalhista, de Waldez Góes, com quem está meio “de ponta”, e vai filiar-se no Partido Popular Socialista, o PPS.
No final das contas, é o mesmo que trocar seis por meia dúzia, pois tanto o PDT - onde está atualmente -, como o PPS, fazem parte da coalizão que ajudou a eleger Waldez.
A ligeira vantagem na troca da legenda é que Eider vai chegar no PPS dando as cartas, uma vez que estará liderando a bancada do partido na Assembléia Legislativa. Ou seja, com mais cartuchos na mão para barganhar espaço no Governo.
O Che
Só a título de informação: Ernesto (Che) Guevara, que era argentino e não cubano, se afastou de Fidel Castro após a revolução cubana porque queria apoiar outros países latinos a também implantarem o socialismo. Castro, por sua vez, não concordava com isso, pois pensava na conso-lidação do regime em Cuba, primeiro.
Mexendo em vespeiro
O ex-socialista, ex-guerrilheiro, ex-castrista, e ex-uma porção de coisas mais, Angel Hernandéz-Rojo, que lutou, segundo ele próprio, contra o regime de Fulgêncio Batista, ajudando a implantar a Revolução Cubana, mexeu num vespeiro ao fazer declarações anti-castristas e pró-EUA, no programa Luiz Melo Entrevista (Antena 1 FM).
É que os partidos de esquerda - os verdadeiros, como o Psol - acharam impróprias e até inverídicas as informações.
Para a esquerda, a fala de Hojo não passa de marketing para promoção de sua obra - que nem tem ainda tradução no Brasil - “La Revolucion en Cuba - Mitos y Víctimas”.
A verdade
De uma vez por todas: o líder cubano Fidel Castro, o “Fifo”, para os íntimos, não nasceu no Pará, como chegou a afirmar um certo jornal desinformado.
De acordo com a própria biógrafa de Fidel, ele nasceu Fidel Alejandro Castro Ruz, no dia 13 de agosto de 1926, no povoado cubano de Birán (província de Holguin). Seu pai, Ángel Castro Argiz, era agricultor neste povoado. Fidel Castro é presidente de Cuba desde a revolução cubana (1958-1959), que derrubou o governo pró-americano do general Fulgêncio Batista. Essa revolução tinha caráter nacionalista e socialista e recebeu forte influência do “camarada” Ernesto Che Guevara (conhecido como “Che”) e do irmão de Fidel, Raúl Castro, que hoje preside interinamente o país.
Fidel não é paraense, entendeu?
Ex-guerrilheiro de Fidel em Macapá
O ex-guerrilheiro cubano Angel Hernándes-Rojo, que ajudou Fidel Castro na revolução cubana, está em Macapá para promover seu livro “La Revolución en Cuba - Mitos e Víctimas”.
Polêmica
Continua a polêmica em torno das notas conferidas as seis escolas de samba - três do Grupo Especial e três do Segundo Grupo - durante o Festival de Sambas de Enredo ocorrido sábado, 3, no Sambódromo.
Na crista da onda, a nota de um dos jurados, que é músico e teólogo, e que atribuiu 8,5 para Piratas Estilizados e Boêmios do Laguinho no quesito “Arranjo”.
Os representantes das duas agremiações reclamaram da rigidez das notas, e o jurado explicou que, no caso da Boêmios do Laguinho, “as idéias ficaram soltas na primeira estrofe. O vocal apresenta dificuldade com a tonalidade escolhida para o samba. Além disso, não desenvolve contraponto na melodia”.
As vencedoras
Império do Povo, com o samba “Da profecia de Pitágoras nasce o símbolo do número quatro”, e Jardim Felicidade, com “Poço do Mato, águas laguinenses que banharam o meu corpo e saciaram a minha sede”, foram as duas escolas de samba vencedoras do Festival de Sambas de Enredo promovido pela Liesa, sábado, no Sambódromo de Macapá.
A Império, escola que congrega carnavalescos do município de Santana, desenvolverá um tema internacional em seu desfile deste ano, enquanto que a escola Jardim Felicidade, da zona norte de Macapá, baseia seu desfile num opúsculo de Neca Machado intitulado “Estórias do Poço do Mato”, da coleção “Mitologia Amapaense”.
Impugnação
A Escola de Samba Império do Povo, de Santana, pode ficar fora do carnaval de rua deste ano, caso não consiga explicar porque escolheu um tema cujas raízes não são nacionais, segundo a avaliação de duas outras escolas.
Duas agremiações ficaram de dar entrada ontem, na Liga das Escolas de Samba (Liesa), com pedidos de impugnação do enredo da Império, alegando justamente isto: escolha de tema fora das raízes nacionais.
O enredo da Império do Samba é “Da profecia de Pitágoras nasce o símbolo do número quatro”.
O bicho vai pegar de agora em diante.
Estelionato
O ex-presidente da Câmara Municipal de Serra do Navio, o ex-vereador Jesaias Silva e Silva, está sendo acusado pelo empresário João Bosco, da Vidro Artes, de ter passado um cheque sem fundos, da Câmara, no va-lor de R$ 3.674,00, à sua empresa.
Tentando receber o dinheiro desde o dia 23 de dezembro do ano passado, sem sucesso, Bosco procurou o atual presidente da Casa, o vereador “Geléia”, que disse não ter nada a ver com o suposto estelionato do ex-presidente.
A Vidro Artes confecionou e instalou para a Câmara de Serra do Navio cinco janelões e três portas. Serviço pelo qual não recebeu um centavo sequer. A não ser o cheque, que a Caixa Econômica devolveu por insuficiência de fundos.
À míngua
Beneficiários do programa “Renda Para Viver Melhor” reclamam que estão há dois meses sem receber seus proventos - meio salário mínimo para cada família que mantém seus filhos de 7 a 14 anos na escola.
Pais e mães de família - carentes - procuraram os responsáveis pelo programa para saber quando veriam a cor do dinheiro e tiveram como resposta que “não há recursos para o pagamento, nem previsão de quando ele chegará”.
Resultado: milhares de crianças pobres dos 16 municípios vão ficar sem estudar nesse início do ano porque seus pais não têm dinheiro para comprar o material escolar.
O programa substitui o Bolsa Família.
[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, AMAPA, MACAPA, PERPETUO SOCORRO, Homem, de 36 a 45 anos, French, English, Livros, Cinema e vídeo
Outro -
Visitante número: