Aécio admite que uso de caixa 2 por Azeredo incomoda

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), reconheceu hoje que a revelação do esquema de caixa 2 na campanha do senador Eduardo Azeredo (MG) à reeleição ao governo do Estado, em 1998, é um "incômodo" para o PSDB no pleito presidencial do ano que vem. "Claro que é um incômodo", disse ao ser perguntado sobre o assunto durante entrevista à rádio Bandnews. O governador mineiro, porém, avaliou que "vai ficar claro" que a relação do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza com a campanha de 1998 "é muito diferente" da construída com o governo do PT.

Um empréstimo com valor original de R$ 8,35 milhões ao Banco Rural, feito pela DNA Propaganda naquele mesmo ano, foi usado para o financiamento paralelo da campanha da coligação liderada pelo PSDB. Azeredo acabou deixando a presidência nacional da legenda após a revelação de que um cheque de R$ 700 mil do Banco Rural, emitido por Valério e sua mulher, Renilda Maria Santiago, em setembro de 2002, foi utilizado para que ele quitasse uma dívida com o ex-tesoureiro de campanha Cláudio Mourão.

"Marcos Valério não existia antes do governo PT", disse Aécio, afirmando que o homem apontado como o pagador do suposto mensalão "era um empresário mineiro, sócio, investidor de duas agencias de publicidade", que no processo eleitoral de 98 ajudou Azeredo apenas a pagar dívidas de campanha. O governador tucano voltou a assegurar que na eleição de 1998 "não entrou" dinheiro público, mas acusou o PT de prática de corrupção.

"Marcos Valério se transformou em personagem nacional porque o PT resolveu adotá-lo e transformá-lo em um grande instrumento de arrecadação de fundos", disse. "O PT inaugurou o financiamento público de campanha. Recursos de empresas públicas, de bancos públicos engrossavam o caixa do PT e era distribuído para alguns partidos da base ou ficavam com o próprio PT".

Durante evento no Palácio da Liberdade, Aécio também comentou a votação no Supremo Tribunal Federal (STF) do pedido para que seja suspenso o processo contra o deputado José Dirceu (PT-SP), na Câmara. Ex-presidente da Casa, o governador de Minas disse que é necessário respeitar as decisões do STF, mas que gostaria de ver a independência do Parlamento "sendo praticada com menos ingerências". "E há hoje uma postergação, um adiamento contínuo do exercício dessa prerrogativa por parte do Congresso Nacional, o que não é positivo", concluiu. (Agência Estado)

Diálogo para extorsão

 

Um agente de trânsito da Empresa Municipal de Transportes Urbanos de Macapá (EMTU), chega à casa de uma senhora, no bairro Cidade Nova I, na terça-feira (22) de manhã, e manda chamar a dona da casa. A mulher atende à porta e o guarda, montado numa bicicleta e vestindo uma camiseta com a logomarca da empresa, pergunta:

- A senhora e a Dona Fulana de Tal? – ao que a mulher responde afirmativamente.

- Assine aqui essa multa –, diz, estendendo um papel da EMTU onde constava a emissão de uma multa no valor de R$ 150 referente a uma motocicleta flagrada um mês atrás, circulando com as luzes apagadas.

A mulher se revolta e diz que não possui moto nem vai pagar a tal alguma. O guarda ameaça enviar a multa pelos Correios e diz que pode “facilitar” a vida da dona de casa se ela “contribuísse” com a módica quantia de R$ 50. Não houve acordo e o guarda foi-se embora.

Horas depois o guarda volta a importunar a dona de casa. Agora, pelo telefone. Novamente a tentativa de extorsão: ele estava disposto a esquecer a multa, caso ela pagasse a propina de R$ 50. A mulher argumentou que não era dona da dita moto e, portanto, não pagaria porcaria nenhuma de multa.

- Ah, é? Pois a senhora acaba de perder cinco pontos em sua carteira! – diz o guarda, antes de desligar o telefone, puto da vida.

Detalhe: a mulher sequer possui carteira de habilitação. E a tal multa foi expedida a uma motoqueira que esquecera de acender os faróis de sua moto, por ocasião da Expofeira de Fazendinha, em outubro. Na época, a motociclista chegou a pagar R$ 50 ao dito guarda para não ter a moto recolhida ao curral do Detran.

CRIME ORGANIZADO

Fazendeiro paraense é preso em Macapá

O fazendeiro paraense Lindomar Resende Soares, 28,  foi preso ontem à noite em Macapá por policiais civis da Delegacia de Polícia Especializada (DPE), com a ajuda de policiais civis do Serviço de Inteligência da polícia paraense.

O grupo estava trabalhando no caso havia 20 dias, em Macapá, a pedido da polícia do Pará, que tinha informações sob o paradeiro do fazendeiro.

Lindomar Resende é acusado de ser o mandante de vários crimes de morte no Sul do Pará, sobretudo na região conhecida como “Pistolagem”, que envolve as cidades de Ulianópolis (sua terra natal) e Paragominas. Mas a polícia descobriu também que Resende e o pai dele, um forte fazendeiro que está foragido - provavelmente nos Estados Unidos -, mandaram matar desafetos na cidade de Rondon do Pará.

Há suspeitas de que Lindomar e sua família estejam envolvidos com o assassinato da freira norte-americana “Irmã Dorothy”, morta a mando dos fazendeiros da região Oeste do Pará por envolvimento em conflitos de terras.

A prisão - Os policiais paraenses receberam informação de que Lindomar estaria vivendo em Macapá, na casa de um parente, tentando deixar a “poeira baixar”, pois a polícia está investigando vários assassinatos de trabalhadores rurais naquela região.

A Justiça paraense decretou a prisão preventiva dele, que foi cumprida através de Carta Precatória.

De posse do documento, os policiais de Belém vieram a Macapá e solicitaram ajuda da DPE para prosseguir as investigações e prender o suspeito.

O titular da delegacia, delegado Ronaldo Coelho, comandou  as investigações que resultaram na captura do fugitivo.

Resende foi localizado em uma residência do Igarapé da Fortaleza, comunidade distante 15 Km ao Sul de Macapá.

“Na hora da prisão ele não esboçou reação alguma”, revelou o delegado.

Segundo a polícia, Lindomar Resende teria confessado participação em alguns crimes de morte, mas negou qualquer envolvimento com o “Caso Dorothy”.

Herança maldita - A família Resende é muito conhecida no Sul do Pará, não apenas por ser de muitas posses, mas devido à violência com que resolve seus conflitos.

O pai de Lindomar, cujo nome não foi revelado e que está com sua prisão preventiva decretada, também é acusado de mandar matar vários fazendeiros e trabalhadores rurais em sua cidade.

A irmã dele, a vereadora Marta Resende Soares, também foragida, está sendo procurada pelas polícias do Pará e Amapá.

O rapaz ficará preso na penitenciária de Macapá até ser transferido para Belém.

Rapidinhas...

Atraso

Passei alguns dias sem atualizar o Blog. Uns amigos reclamaram, outros agradeceram por eu não ter mais escrito tanta besteira. Bom, mas estou de volta, antes que a Alcinéia, a Lene e o Bonfim comecem a me escrotear lá pelos Blogs deles.

 

Blogueiro

Ah, falando em Blog, o Leonai Garcia é o novo blogueiro do pedaço. Ficou puto com o Melo que andou cortando umas notinhas dele, lá no Diário, e resolveu criar um espaço alternativo pra escrever o que bem entender, sem o risco da censura prévia.

 

Esquentando o banco

O senador Gilvam Borges (PMDB-AP) voltou a ocupar cargo de assessor na liderança de seu partido, no Senado. Tudo para ficar em Brasília esperando a decisão final do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o mandato do senador João Capiberibe (PSB-AP). Teoricamente, se Capiberibe perder, ele já estará ali para tomar posse.

 

Frota oficial movida a gás

Um convênio firmado entre o Amapá, a Companhia de Gás do Amapá (Gasap) e a Petrobrás, no final da tarde desta quarta-feira, 23, em palácio, definiu a cooperação técnica que viabilizará a entrada em operação da Gasap. O acordo insere o gás natural na matriz energética do Estado. Trocando em miúdos: o governo vai incentivar o uso de gás natural no Amapá. A frota oficial pode passar a usar combustível alternativo.

Ouvindo reclamações

Inaugurada quarta-feira, 23, a Ouvidoria do Sistema de Defesa Social do Amapá. Com a iniciativa, o governo acredita ter aberto – atrasadamente - um canal de relacionamento com a sociedade. A Ouvidoria funciona na Av. Machado de Assis, 372, entre as ruas Leopoldo Machado e Hamilton Silva, no Centro, e vai atender reclamações da comunidade acerca de segurança pública, basicamente. Tipo violência policial.

Ponte franco-brasileira

A segunda reunião técnica para a construção da ponte binacional sobre o Rio Oiapoque terminou com a assinatura de um documento elaborado pelas comissões técnicas do Brasil e da França. Ficou definida a data da nova reunião: abril de 2006. E o local: Caiena, na Guiana Francesa, o novo point turístico governamental.

O documento trata do cronograma global da obra, dos dispositivos sobre a fiscalização nas fronteiras, dos custos total da construção e do intercâmbio de informações entre os dois países.

Quem estava pensando em ir trabalhar na Guiana Francesa, livremente, pode esquecer a idéia. A França impôs uma série de restrições para os “brajons” cruzarem a fronteira.

Jornalistas amapaenses em Caiena

Termina hoje, 25, em Caiena (Guiana Francesa), o Congresso de Jornalistas Franceses. Pela primeira vez o evento acontece na América do Sul. O Amapá enviou seis jornalistas ao congresso, dentre eles, Hanne Capiberibe, Gilvana Santos e Reginaldo Borges.

Questões como liberdade de imprensa e inserção social através da Comunicação estão sendo debatidos.

Estudantes sem privilégios

O Procon-AP garante que está de olho nos promotores de espetáculos que insistem em não permitir a estudantes o pagamento de "meia-entrada" em eventos sócio-culturais, como peças teatrais, shows musicais, espetáculos circenses, cinema, e desportivos. Segundo a Lei, os estudante tem direito à uma redução de 50% no valor do ingresso. Mas em Macapá, os empresários do setor insistem em burlar a lei e chegam a desrespeitar os estudantes na entrada.

Leilão de madeira

Mais de 41 espécies de madeira, em toras, fazem parte dos lotes que serão leiloados neste dia 29, terça-feira. A madeira foi derrubada em Pedra Branca do Amapari para a instalação do projeto de uma mineradora homônima.

O desmatamento foi autorizado pela Secretaria do Meio Ambiente e rendeu mais de 15 mil metros cúbicos de madeira. O dinheiro arrecadado será usado em projetos de inclusão social de algumas ONGs.

Risco total

Promotores de Justiça do MP foram à comunidade de Delta do Matapi-mirim, no município de Santana, e voltaram de lá estarrecidos com o que viram: a fiação elétrica da vila ameaça a segurança dos moradores. Os fios elétricos estão sustentados em postes de madeira apodrecidos que, devido ao efeito da erosão, estão prestes a cair. Os fios ficam próximos às margens do rio, onde crianças brincam e tomam banho.

No meio do povo

As sessões da Assembléia Legislativa dos dias 29 e 30 (terça e quarta-feiras) vão ocorrer, respectivamente, nos municípios de Vitória e Laranjal do Jari. As sessões itinerantes foram pedidas pelo deputado Manoel Mandi (PV), que mora na região. Os moradores do Vale do Jari terão oportunidade de conhecer o que os deputados estaduais estão fazendo pelo povo.

Educação via satélite

A partir desta segunda, 28, estarão abertas as inscrições para os cursos de Pós-Graduação a nível de especialização (lato sensu) à distância, do Senac. Três especializações serão oferecidas: Gestão Educacional, Educação à Distância e Educação Ambiental. Os interessados podem acessar o sítio www.pos-ead.senac.br. Os cursos foram credenciados pelo MEC com conceito “A”, que é o máximo em educação superior no Brasil. Essa modalidade de ensino à distância usa uma metodologia única no país, desenvolvida pelo Senac de São Paulo.

[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, AMAPA, MACAPA, PERPETUO SOCORRO, Homem, de 36 a 45 anos, French, English, Livros, Cinema e vídeo
Outro -
Visitante número: